Fisioterapia pélvica: saiba tudo sobre esse tratamento

Tempo de leitura: 3 minutos

A Fisioterapia Pélvica, também conhecida como fisioterapia do assoalho pélvico, tem como objetivo melhorar ou evitar a perda da força na região pélvica. Apesar de pouco conhecida, ela pode ser uma grande aliada à saúde. 

O assoalho pélvico é um grupo de músculos, ligamentos, nervos e tecido conjuntivo que sustenta os órgãos que ficam na área do abdômen: bexiga, útero, órgãos genitais. Quando essa região está fraca ou flácida, é comum que haja algumas disfunções pélvicas. Continue lendo para saber mais!

Disfunções do assoalho pélvico

O assoalho pélvico costuma ser forte na juventude e enfraquece à medida que o corpo envelhece. Além da idade, o assoalho pélvico pode se enfraquecer devido à menopausa, parto vaginal, determinadas cirurgias, ganho de peso, etc. 

As pessoas que possuem essa disfunção contraem os músculos em vez de relaxar. Isso faz com que elas não consigam ter um movimento no intestino e na bexiga satisfatórios.

Existem três principais tipos de disfunções do assoalho pélvico:

  • Incontinência urinária: quando há a perda involuntária de urina pela uretra por conta do assoalho pélvico fraco que pode fazer com que os órgãos “caiam”. 
  • Incontinência fecal: representa a perda da capacidade de segurar tanto gases como fezes, dependendo da gravidade do caso.
  • Prolapso do órgão pélvico: condição em que um ou mais órgãos pélvicos “escorreguem” para dentro da cavidade pélvica. 

A maneira mais indicada para fortalecer o assoalho pélvico e lidar com essas disfunções é através da Fisioterapia Pélvica. 

Uma das técnicas que o fisioterapeuta pode utilizar consiste em ensinar o paciente a contrair e relaxar a região, alongando músculos tensos e fortalecendo os fracos, além de melhorar a flexibilidade. 

Fisioterapia Pélvica, gestação e o pós-parto

Durante a gestação, os exercícios para o assoalho pélvico são indispensáveis porque além de sustentar o peso dos órgãos pélvicos e do aumento corporal, a gestante ainda precisa sustentar todo o peso do bebê.

A Fisioterapia Pélvica durante a gravidez é ainda utilizada na prevenção de incontinências, na diminuição de dores lombares, no relaxamento muscular e melhora da respiração.

Na fase do pós-parto, a Fisioterapia Pélvica tem um papel importante ao reeducar o corpo para adequá-lo às mudanças causadas pela gravidez e pelo parto. Além disso, o tratamento também prepara o períneo para atividades sexuais sem desconforto.

Quem pode fazer Fisioterapia Pélvica 

A realidade é que todas as mulheres podem ter ganhos com a Fisioterapia Pélvica, mesmo se não houver queixas! 

Mulheres que sofrem com vaginismo, vulvodínia e endometriose são pacientes comuns para esse tratamento, além de gestantes e pessoas com disfunções no assoalho pélvico. 

Porém, a Fisioterapia Pélvica também pode auxiliar no que diz respeito à sexualidade, pois ensina a consciência corporal, um dos primeiros passos para a conquista do prazer sexual. 

Os homens também podem se beneficiar da Fisioterapia Pélvica para a sua saúde sexual, para tratar incontinência urinária e fecal e ainda para ajudar na disfunção erétil e ejaculação precoce. 

Aqui na Central da Saúde contamos com profissionais especializados em Fisioterapia Pélvica. Acesse o nosso site e agende sua consulta agora mesmo! Continue ligado no blog e fique sempre em dia com o mundo da saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *