Como criar uma corrente do bem?

Tempo de leitura: 3 minutos

Setembro é o mês mundial da prevenção ao suicídio e, além de ser necessário falar sobre o tema, é fundamental ajudar o próximo sempre que puder, um simples e pequeno gesto positivo pode salvar vidas!

Pensando nisso, trouxemos algumas dicas para criar uma corrente do bem não só nesse, como também em outros meses. Continue lendo este artigo para saber mais.

O setembro amarelo

A campanha do setembro amarelo nasceu a partir da história de um jovem estadunidense. Conhecido por ser carinhoso e afetivo com todos, além de ser apaixonado por Mustangs. O jovem tinha uma grande habilidade mecânica, chegando a reformar um Mustang 68 e pintar de amarelo. 

Porém, em 8 de setembro de 1994 ele tirou a própria vida. Seus pais, amigos e conhecidos não imaginavam que isso poderia acontecer, então, como uma homenagem e forma de disseminar o assunto, em seu funeral montaram uma cesta com cartões e fitas amarelas escrito “se precisar, peça ajuda”. Essa ação se popularizou rapidamente e foi expandida pelo país, as pessoas começaram a utilizar os cartões amarelos como pedido de ajuda, o que ajudou a salvar muitas vidas.

Em 2003 a OMS (Organização Mundial da Saúde) criou a campanha do setembro amarelo e a data 10 de setembro foi instituído como o dia mundial da prevenção ao suicídio. Seu intuito é a conscientização sobre a prevenção e incentivar o cuidado da saúde mental.

A campanha chegou no Brasil em 2015 e o projeto foi desenvolvido pelo CVV (Centro de Valorização da Vida) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria).

Como ajudar o próximo?

Se você conhece alguém que está passando por momentos difíceis, mas não sabe como ajudar, separamos as seguintes dicas para estabelecer uma rede de apoio.

A primeira dica é estar disposto e aberto para ajudar. Pergunte como a pessoa está, faça um elogio, chame-a para tomar um café e conversar, mostre que a companhia dela é importante, mas sem a necessidade de forçar que ela desabafe. Se ela se sentir confiante e confortável para desabafar, esteja aberto a ouvir com atenção e sem julgamentos ou soluções prontas. Muitas vezes não sabemos o que dizer nessas horas, mas nem sempre é preciso falar algo, a pessoa pode apenas querer alguém para ouvir o que ela tem a dizer sem ser interrompida ou apressada.

Por mais que ela se sinta bem em conversar com você, é importante lembrar que o papel de um profissional é essencial e ele sabe exatamente o que falar com as palavras certas. Portanto, a segunda dica é incentivar a procura de um psicólogo ou, se necessário, psiquiatra. Você pode até mesmo se oferecer para acompanhá-la no atendimento para demonstrar apoio.

Outra dica é se manter próximo e dar atenção, demonstrando o quanto a pessoa é importante e que você se preocupa com ela. Evite deixá-la sozinha sempre que possível e quando não for, fique em contato com ela.

Por último, mas não menos importante: mantenha-se atento aos sinais e, em caso de emergência, contate o CVV através do número 188. O Centro de Valorização da Vida possui uma equipe pronta para atender e oferecer todos os cuidados necessários de forma anônima.

Vale lembrar que, apesar da campanha acontecer em setembro, não há mês específico para ajudar o próximo, todos os dias podem ser pintados de amarelo. 

E aí, você já ajudou alguém hoje?

Para mais informações sobre o mundo da saúde e atendimento domiciliar, acesse nosso blog e confira nossos artigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *