Alzheimer: 4 atitudes para prevenir a doença!

Tempo de leitura: 3 minutos

O Alzheimer é uma doença degenerativa e com terríveis consequências. Contudo, alguns hábitos podem mantê-la longe. Confira!

O Alzheimer é uma doença neurológica degenerativa, deteriorando a capacidade cognitiva – ou seja, de aprender, prestar atenção e assimilar informações. Além disso, a doença, em um primeiro momento, afeta de forma brusca a memória de curto prazo, fazendo com que a pessoa fique repetindo a mesma pergunta várias vezes e possua dificuldades para acompanhar uma conversa, além de esquecer as coisas com facilidade.

O problema aparece e se instala quando o processamento de certas proteínas do sistema nervoso central começa a dar errado. Esses resíduos começam a se depositar no cérebro, causando a perda progressiva de neurônios em certas regiões, que afetam o raciocínio, a memória, o pensamento e o reconhecimento de estímulos.

Infelizmente, ainda não há uma prevenção específica para a doença de Alzheimer. No entanto, acredita-se que algumas atividades estimulantes ao cérebro possam manter o problema longe — um deles comprovado por cientistas brasileiros. Confira nossas 4 dicas!

Pratique exercícios físicos regularmente

Como dito, não há um tratamento preventivo 100% eficaz para a doença, mas pesquisadores brasileiros descobriram a chave para deixá-la bem longe pode estar no exercício físico. 

O segredo pode estar na irisina, hormônio produzido pelos músculos durante a atividade física. Cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) descobriram que, além do seu papel em queimar gorduras, ela é importante para a comunicação dos neurônios e formação de memória. Com isso, protege o cérebro e restaura as lembranças afetadas pelo Alzheimer, evitando o surgimento e a progressão da doença.

Muitas pesquisas ainda precisam ser feitas para comprovar seu grau de eficácia e a quantidade de exercícios necessária para manter o Alzheimer longe. No entanto, a atividade física proporciona também mais qualidade de vida e deve fazer parte da rotina de qualquer indivíduo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que, semanalmente, adultos e idosos pratiquem 150 minutos de atividade física moderada ou 75 minutos de atividade intensa.

Estude e leia com frequência

O Ministério da Saúde indica que pessoas que estudam mais costumam executar atividades intelectuais mais complexas e, com isso, conseguem prevenir ou retardar o aparecimento do Alzheimer.

O estudo e a leitura constantes proporcionam novos conhecimentos e exercitam a memória, já que você precisa assimilar aquele conteúdo e, posteriormente, utilizá-lo para resolver alguma questão. Valendo, até mesmo, aquele livrinho de palavras-cruzadas da banquinha, viu? 

Não abuse do álcool

O abuso de álcool está associado a diversas disfunções do organismo, inclusive no cérebro — tanto que existe um tipo de demência causada pela substância. Pesquisadores realizaram na França um estudo com mais de um milhão de pessoas que passam pelo problema. Eles descobriram que ser hospitalizado por alcoolismo ou problemas decorrentes do consumo excessivo de bebidas é um forte fator de risco para a progressão da doença antes dos 65 anos.

É preciso ter ciência de que o álcool não traz perigo apenas a quem bebe ao ponto de ser hospitalizado. Portanto, moderação é a palavra de lei!

Brinque com jogos e exercícios mentais

Estimular o cérebro constantemente ajuda a afastar a demência — a maior parte dos casos do problema é causada por Alzheimer. Portanto, invista em jogos de estratégia: podem ser de tabuleiro, computador, videogame, o velho conhecido xadrez e até batalha naval. 

Entendeu como se prevenir do Alzheimer? Quais dessas atividades você já pratica? Não deixe de compartilhar com seus amigos e familiares!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *